sábado, 1 de dezembro de 2012

There She Goes

"There she goes
There she goes again
Racing through my brain
And I just can't contain
This feeling that remains"

 Hnnnnnacchi. Você veja como é a vida. Eu ontem mesmo estava aqui fazendo um post sobre idols e escrevi sobre ela. Sobre a minha preocupação com seu estado e temor de que ela pudesse graduar a qualquer momento. Eu havia feito um giro básico por diversos sites, como sempre faço, antes de fazer o post para reunir os links e tals. Não vi o anúncio repentino dela. No momento em que escrevia o post aqui, ela escrevia sua despedida lá. É engraçado que eu vinha sentindo ela, digamos assim, propensa a graduar desde muito tempo, lendo posts emotivos como estes que ela costumava fazer logo após mais um "fracasso" no sousenkyo. O deste ano já havia sido o post de blog mais belo e emocionante que li em minha vida. Chorei. Uma garota com problemas de auto-estima, que se cobrava demais e se via cercada de uma pressão e expectativa enormes que, mesmo involuntariamente, acabavam por ferí-la, impotente diante de suas próprias limitações. Muita coisa ela não tinha como controlar mesmo.


Ela não tinha como controlar o fato de a produção do grupo, Akimoto e cia., nunca terem dado um espaço devido pra ela se mostrar. Tirando uma pequena visibilidade que ela tinha lá nos primórdios do grupo, quando chegava a aparecer com certa regularidade nos programas do grupo (início do AKBingo e principalmente nos antecessores AKB1ji59fun! -reparem nela fazendo com a Nontii a abertura do primeiro episódio!- e depois AKB0ji59fun!)... participações bem esporádicas aqui e ali, o musical Dump Show! (onde ela estava maravilhosa), o Aki Matsuri onde ela deu show no karaoke taikai, inclusive ao lado da amiga Yuppai (numa parceria que agora, virou história)... muito pouco. Naqueles primórdios do grupo, antes da entrada das agências no jogo, ela chegou a ter alguma popularidade, integrando o senbatsu do single "Keibetsu shiteita aijou". Mas conforme o jogo foi se desenrolando, ela apesar da beleza e talento, foi uma das que foram sendo deixadas para trás. Para nunca mais ter uma oportunidade. Sumiu.

"Sotsugyou shite kara mou sandome no haru
aikawarazu soba ni aru onaji egao
ano koro bike de tobashita ie made no michi 
ima wa roof kara no hoshi wo minagara hashitteru"

Fica difícil ter muitos fãs e ser conhecida, dentro de um grupo tão grande, onde as mais novas já vão entrando com mais publicidade que as antigas, quando você mal aparece em programas, shows... sempre no fundo, figuração. Um desperdício enorme. Nas poucas vezes que deixavam ela cantar, dava pra se perceber que ali havia mais que uma idol qualquer. Havia um talento puro, cantando, tocando guitarra... até desenhando (vide a capa do cd da Sakiko)! A verdade é que o AKB48 era pequeno demais pra ela. Mas ela estava ali, aprisionada naquele espaço minúsculo que a davam. Tinha vínculos já ali, não conseguia sair. Aquele velho dilema, que segue as flopadas do grupo: sem oportunidades de trabalho estando dentro do grupo, ainda menos oportunidades estando fora dele. Ela aguentava, mesmo com o sofrimento. 


Seu olhar. Dava pra ver em seu olhar, perdido, a tristeza de não conseguir o algo mais que ela tanto sonhava. Frustrações, decepções. Se sentia mal, como se a culpa fosse unicamente sua. Quando ela escreve "Yowai tokoro wo miseta toki mo arimashita. Sasae ni natte kureta no wa fan no kata de itsumo konna watashi wo hagemashite kuremashita." você nota a sua baixa auto-estima, o baixo valor que ela se dá. Isso passava pras pessoas. Poucos eram aqueles que estavam dispostos a ajudar. E assim, ela ficou marcada como uma das meninas mais 'chatas' para se ir cumprimentar num akushukai. Pois é, era de se esperar que uma hora ela não aguentasse mais. Já estava buscando forças em qualquer coisa que podia. Aí vem sua gastroenterite aguda, que a deixa afastada fazendo tratamentos (aparentemente ainda não se recuperou) e a põe longe das atividades do grupo por um tempo. Tempo este suficiente pra ela refletir. Ver que o caminho de idol não tem como lhe reservar muito pela frente. Ela estuda. Faz ciências humanas na famosa Universidade de Waseda (curso a distância, até aqui). Será que sair do 'mundinho idol', deste dolorido conforto, para encarar o mundo real, a vida cotidiana... não vale a pena?


Eis que de repente, escândalo. Sua parceira está fora, graduação. O gatilho que faltava. E ela joga o que tem pro alto. Como sempre, ela escreve muito bem (daria uma baita compositora) e faz o post de despedida. Assim, nas sombras, meio na surdina ela anuncia sua graduação. Sem falar pessoalmente, sem akushukai, sem performance no teatro, cerimônia, nada. São mais de seis anos vivendo na sombra mesmo... Pessoal reclamou, não gostaram. Falam mal da produção. Desta vez, acho que não tem culpa. Ela quiz assim. Talvez o próprio estado de saúde ainda impeça uma despedida "mais digna", vai saber. O fato é que do dia pra noite ela já não é mais uma membro do AKB. Rápido assim. Não é mais uma idol. Está livre. O AKB perde uma menina engraçada, uma de suas melhores cantoras, alguém que dava o máximo de si. E ela, o que perde? Nem ela sabe. Tanto não sabe que em sua despedida anuncia logo o fim de sua carreira artística como um todo. ISTO é o que mais me entristece. A falta de auto-estima a faz pensar que sozinha ela não tem nenhuma chance na carreira, melhor nem tentar. O desperdício agora parte dela mesma.

Acabou. E eu nunca pude vê-la pessoalmente de perto. Sou felizardo por tê-la visto no Dump Show! e no Watanabe Girls Live, porém. Vou guardar estas recordações. Um cometa. Que brilhava muito, mas passou. Gostaria de poder pelo menos me despedir mas... o contrato com a agência já foi desfeito, segundo li. Não tenho como mandar uma carta sequer até ela mais. Isso é muito triste. A pior graduação desde que eu comecei a acompanhar essa coisa de idols, numa época que eu nem sabia o que era direito isto, quando a Gocchin ainda brilhava no Morning Musume. Ela que fora do AKB vinha tendo ultimamente algumas pequenas oportunidades, seja fazendo previsão do tempo no hiruobi, seja num programa de rádio de Fukuoka, não precisava ser tão drástica... Se ela nunca mais der as caras, espero que não se arrependa e tenha sucesso na sua carreira. Caso ela volte atrás, seja de vocalista numa bandinha underground mesmo, com certeza irei prestigiá-la.


O melhor post até aqui sobre a graduação da Hnnnnnnnacchi, não poderia ser diferente: sua antiga parceira de brincadeiras, Nontii. Falando do como elas iam pro banheiro chorar juntas quando as piadas que elas pensavam nos bastidores não davam certo no palco. Matsubara também falou um pouco das duas que saem. E numa última demonstração de carinho, os wotas unidos conseguiram colocar a Hnnnnnnnnacchi em segundo lugar no ranking de calendários do AKB encomendados/vendidos.


Fato é que mais uma membro antiga vai embora. Em termos de quantidade, não faz falta. Ainda tem outras oitocentas meninas lá. Mas com as controvérsias, escândalos e principalmente saída desses rostos conhecidos... o grupo vai rapidamente se perdendo. Quanto tempo até virar passado, que nem o citado Momusu? Talvez mais rápido do que muitos imaginam. Basta ver que este ano não foram realizados Team Ogi Matsuri, Watanabe Girls Live, Aki Matsuri... as vendas já estagnaram... vai diminuindo a quantidade de propagandas com o AKB por aí (a não ser nos pachinkos)... a lojinha do SKE em Shibuya já fechou a algum tempinho e a loja do AKB em Harajuku vai fechar no início do ano... (estes últimos, como ando meio afastado do grupo, eu confesso que nem estava sabendo) 2013 se desenha como o ano derradeiro. Um AKB de volta ao nicho idol otaku tem suas vantagens e desvantagens. O tempo dirá quem (dos fãs e das meninas) vai querer continuar no jogo, quando o gramado voltar a ser de terra batida.

5 comentários:

Anônimo disse...

Oi Caio, eu tenho uma perguntinha

você mora no japão faz anos né
como conseguiu o visto? você é descendente e foi por empreiteira?

eu n sou descendente e queria saber se tem como conseguir visto pra trabalhar

abraços

Tsu Yamato disse...

Olá, sim moro aqui fazem pouco mais de dois anos, sendo minha segunda passagem por aqui. Sou descendente, então as coisas ficam mais fáceis para o visto. Ainda mais que nos últimos anos eles estão impondo regras mais rigorosas para a entrada de estrangeiros e em particular, nós brasileiros.

A maioria do pessoal chega aqui via contrato com uma empreiteira, para conseguir a liberação mais rápido do visto, uma vez que você tem um contrato de trabalho. No meu caso mesmo, eu só pequei ele para o visto, nunca trabalhei pela empreiteira em questão. (ai se os hómi lêem isso...)

Para um não descendente, sem ser casando com um(a) descendente... a maneira que creio ser mais fácil pra ser aprovado o visto seria vindo como estudante, intercâmbio e tals. Aí, estando aqui, você arruma um emprego e busca a renovação, agora como visto de longa duração por contrato de trabalho.

Espero ter ajudado. Acho que num sou lá a pessoa mais indicada para infos desse tipo, mas enfim. ^__^' Abs.

Anônimo disse...

Obrigado pela resposta, é q vc não tem cara de japonês aí não tinha certeza se era descendente mesmo kkk

é acho q o jeito mais """fácil""" é fazendo mestrado no japão, duro é me formar e passar nas provas hehe

mas valeuzão abraço

Tsu Yamato disse...

cara de japonês? mas eu censuro meu rosto nas fotos que posto por aqui! comofas/

D=

Anônimo disse...

Nossa, sério mesmo que a loja do AKB vai fechar? T-T